30/10/2006

Valorização real ocorre com estação pronta

Fonte: O Estado de S. Paulo

Imóveis num raio de um quilômetro, ao redor do metrô, são principais beneficiados

A valorização imobiliária de uma região que recebe uma estação de metrô, como no caso da Linha 4, prevista para ser entregue em 2007, ocorre de fato depois que a obra é entregue. “A estação de metrô valoriza imóveis residenciais no raio de um quilômetro, dez a doze minutos a pé”, afirma o presidente da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp), Luiz Paulo Pompéia.

Ele alerta o consumidor sobre o risco da especulação do preço de imóveis de bairros que terão no futuro uma estação de metrô. “É preciso tomar cuidado, pois não é o fato de o metrô ir para a região que os preços vão subir dois anos antes da obra ficar pronta.” Na avaliação de Pompéia, o aumento da população local e verticalização dos imóveis agregam valor à região e, depois de dez anos, provavelmente os imóveis estarão valorizados em comparação a uma área não beneficiada pelo metrô.

O fluxo de pessoas faz com que o entorno de uma estação seja valorizada e atrai empreendimentos para a instalação de comércio como padarias, supermercados, quitandas, farmácias. “Isto direciona o desenvolvimento imobiliário para a verticalização, já que os moradores da região movimentam o comércio de conveniência que fica entre a estação e a moradia’, explica Pompéia.

Segundo ele, até 300 metros ao redor de uma estação os terrenos se valorizam e tendem a ser utilizados por serviços como faculdades e escritórios, assim não há necessidade de espaço para grandes garagens já que as pessoas passam a utilizar o metrô.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.