16/01/2014

Variação de preços dos imóveis cai em São Paulo

Em contrapartida, preço anunciado do metro quadrado encerrou 2013 com alta de 13,7%

Fonte: ZAP Imóveis
Variação de preços dos imóveis cai em São Paulo
A desaceleração tem sido observada há algum tempo em São Paulo (Foto: ThinkStock)

O Índice FipeZap Ampliado registrou aumento no preço médio anunciado para venda do metro quadrado de 13,7% em 2013. A menor variação foi registrada em Brasília, onde o preço médio subiu 4,2%, ou seja, menos do que a inflação projetada para o ano medida pelo IPCA.

Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Clique aqui e cadastre-se

As demais cidades tiveram aumentos maiores do que os demais preços da economia em 2013, com taxas variando entre 9,5% em São Bernardo do Campo e 37,3% em Curitiba. São Paulo, por sua vez, encerrou o ano com aumento de 13,9%, valor menor do que o registrado no ano de 2012 (+15,8%), enquanto o Rio de Janeiro teve um aumento em 2013 em ritmo praticamente igual ao de 2012 (+15,2% em comparação a 15,0% no ano anterior).

A desaceleração foi mais pronunciada em São Paulo e no Recife, enquanto apenas em Fortaleza os preços subiram mais em 2013 do que no ano anterior.

Os valores médios do metro quadrado em dezembro ficaram entre R$ 9.937, no Rio de Janeiro, e R$ 3.820, em Vila Velha. Em São Paulo, foi de R$ 7.815 e a média das 16 cidades foi de R$ 7.303.

Na visão de Eduardo Zylberstajn, coordenador do FipeZap, a desaceleração tem sido observada há algum tempo em São Paulo. “Em 2012, o aumento foi menor que em 2011 e seria pouco plausível que o índice subisse como em 2010 e 2011. Apesar de ter subido menos, o número mostra que a demanda por habitação ainda é grande”, analisa.

Para Zylberstajn, a alta está convergindo para um ritmo menor e mais saudável. “O atípico foi antes, quando os preços explodiram por causa da explosão demográfica, da melhora substancial na aquisição de crédito imobiliário e do mercado de trabalho, mas agora o mercado caminha para uma acomodação. O mercado de trabalho ainda dá sustentação à demanda, o crescimento demográfico continua firme, o crédito cresceu, mas é natural que preços se acomodem”, enfatiza.

Na comparação mensal, o maior aumento foi registrado em Florianópolis (+1,9%) e a menor variação em Brasília (0,1%). Seis cidades entre as dezesseis pesquisadas tiveram variação mensal menor do que a inflação esperada para o mês: Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Santo André, São Bernardo do Campo e Vila Velha.

Até junho de 2012, apenas sete cidades compunham o Índice FipeZap. Assim, a comparação com os aumentos dos anos anteriores só pode ser feita nesse universo: essas cidades tiveram, em média, aumento de 12,7% em 2013 e de 13,7% em 2012.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.