26/01/2009

Vegetação faz diferença

Fonte: O Globo

Paisagismo nas calçadas tem restrições, mas podem ter soluções criativas e decorativas

Fotos: DivulgaçãoZap o especialista em imóveis

Com uma legislação mais rigorosa e utilização de materiais restrita, a saída para elaborar uma fachada com design diferenciado é usar e abusar do paisagismo nos canteiros.

Em seus projetos, o paisagista Gilberto Elkis sugere sempre manter um canteiro com área verde em condições para plantar. “Seu tamanho pode ser extremamente variável, pois vai depender da largura da calçada. Os canteiros rentes à calçadas devem ser analisados caso a caso, pois não podem atrapalhar o desembarque de passageiros dos carros estacionados na rua”, lembra.

Ele dá preferência para canteiros com terra, que asseguram a permeabilidade de uma porção do terreno e evitam a formação de poças nas calçadas. “Há também os pisos drenantes, nos quais a água da chuva se infiltra e escorre diretamente para a terra”, lembra Elkis. Benedito Abbud usou esse tipo de piso na forma de blocos de concreto em seu projeto Calçada Viva.

Em uma calçada com 2,5 m no Alto de Pinheiros, Marcelo Faisal fez um canteiro ao lado do muro da casa de 0,6 m. “Ele garantiu a humanização da fachada, além de permeabilizar o solo. Escolhi a flor de lis e a grama preta para forrar a terra”, explica o paisagista.

Zap o especialista em imóveisNo alto, calçada revestida com placas de concreto; acima,operário colocam blocos intertravados no piso

O canteiro não precisa ser necessariamente homogêneo e pode até comportar flores. Em uma fachada de uma residência no Jardim Paulista, a paisagista Daniela Sedo optou pela íris azul. “Ela dá flor em quatro meses do ano e não atrapalha a passagem”, afirma. A flores ficam ao lado da leea, planta com crescimento lento que, na idade adulta, atinge no máximo 1,5 m. “Além disso, sua folhagem não machuca”, completa Daniela.

Árvores nas calçadas proporcionam sombra e podem tornar a temperatura do ambiente agradável. Porém, possuem uma série de restrições. A melhor opção é escolher as de porte médio e enraizamento superficial, que não prejudicam a fiação elétrica dos postes nem possuem risco de quebrar a calçada. Um exemplo é a resedá e a bauinia.

Caso haja alguma dúvida na escolha da espécie, é possível consultar a subprefeitura do bairro, que irá avaliar a implantação de uma calçada verde, composta por árvores, de acordo com o tipo de via onde o imóvel está localizado.

Uma solução é plantar grandes árvores na parte interna da casa, fazendo com que apareçam na fachada, aconselha Daniela.

Mesmo entre os materiais autorizados, há várias cores, como branco, roxo e amarelo. Elkis lembra que não existe restrição para cor na calçada, mas dá preferência para tons neutros, como o caramelo branco e preto. “São discretos e aceitam diversas composições.” Faisal lembra ainda que podem ser criados detalhes com o mesmo piso, mas em cor diferente.

LEIA MAIS:

Um deles é a sua cara

Piso verde drena água e refresca exteriores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.