30/06/2016

Veja o que vale mais: comprar um imóvel pronto ou construir

Na hora de decidir, é preciso levar em consideração o valor disponível para investir, o tempo e a paciência do proprietário

Fonte: ZAP em Casa

Na hora de adquirir um imóvel, se a opção for comprar uma casa, uma dúvida que pode surgir é se vale mais a pena comprar uma casa pronta ou construir uma casa do zero. Nos dois casos, existem vantagens e desvantagens e é preciso avaliar todas as possibilidades. Porém, a escolha, com certeza, deve levar em consideração o valor disponível para investir, o tempo e a paciência do proprietário.

+ Conte aqui o que você quer ver no ZAP em Casa

+ Cadastre-se aqui e fique por dentro das últimas notícias

Algumas das vantagens de começar a construir uma casa do zero é que o imóvel será projetado de acordo com as necessidades da família, não serão necessárias reformas e os acabamentos são do gosto do proprietário. Além disso, com planejamento bem feito, os custos podem sair menores. Porém, em contrapartida, pela falta de experiência, a obra, no final, pode acabar extrapolando o tempo e orçamento inicialmente pensados.

Já a casa pronta pode precisar de algumas pequenas reformas para se adequar às necessidades da família. Mesmo assim, o tempo que irá levar, em caso de necessidade de alguma intervenção, será bem mais curto que construir uma casa do zero. Ou seja, a casa pronta estará apta a receber os novos moradores logo após a aquisição. Além disso, ela já tem seu valor de mercado adequado.

reforma_casa
Algumas das vantagens de começar a construir uma casa do zero é que o imóvel será projetado de acordo com as necessidades da família, não serão necessárias reformas e os acabamentos são do gosto do proprietário (Foto: Reprodução/Shutterstock)

“Se o proprietário tiver facilidade em contratar a mão de obra para a construção, com certeza vai ficar mais barato construir. Até porque a casa terá o projeto ao seu gosto, ele vai poder escolher o melhor material e a casa poderá gerar mais prazer. Mas se ele não sabe contratar de forma eficiente, é melhor não optar pela construção. Até porque existe uma série de responsabilidades que podem resultar em mais tempo e dinheiro gastos. Existem os riscos e o morador precisa avaliar tudo”, afirma Elísio Cruz Júnior, presidente do Sindicato da Habitação de Pernambuco (Sincove-PE).

Etapas a cumprir

A questão do tempo disponível é importante neste processo. Quando a casa já está pronta, existe a vantagem de poder se mudar para o imóvel logo após a aquisição. Se a escolha é construir do zero, é preciso seguir uma sequência de etapas até, enfim, poder morar no imóvel.

A primeira é ter um terreno próprio. Depois, é hora de elaborar o projeto, que deve ser feito por um arquiteto ou engenheiro. O morador deve passar ao profissional os detalhes do que deseja e também os recursos disponíveis para investir na construção. É importante neste momento conciliar os projeto arquitetônico com o elétrico e hidráulico para não precisar de ajustes mais na frente.

Em seguida, deve-se fazer um planejamento da obra, com os serviços, prazos e gastos com material e mão de obra. Este passo pode evitar gastos desnecessários e também atrasos. Para começar a obra, ela deve estar legalizada, com alvará da prefeitura e IPTU em dia, além da escritura de compra e venda do terreno.

planejamento
A elaboração do projeto deve ser feita por um engenheiro ou arquiteto (Foto: Reprodução/Shutterstcok)

Para dar início aos trabalhos concretos, é hora de contratar a mão de obra. Fique atento para contratar profissionais qualificados e a indicação de amigos e profissionais do ramo podem ajudar. Porém, se a ideia é contratar um empreteiro para ficar à frente da obra, ele ficará responsável pelas contratações da mão de obra. Por último, na hora de comprar o material de construção, pesquise bastante para encontrar o local que oferece os melhores preços e peça desconto, já que a compra será em grande quantidade. E não esqueça de se informar sobre formas de pagamento e prazo de entrega.

“O proprietário precisa negociar bem com fornecedores. Talvez ele consiga compensar no que vai gastar com material de construção e consiga pagar menos para construir, mas vai gastar uma energia enorme e o processo também vai exigir muita paciência”, afirmou Leonardo Schneider, vice-presidente do Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro (Secovi-RJ).

Financiamento

O mais comum é fazer financiamento para comprar uma casa já pronta e é ao que os bancos estão mais habituados a fazer, portanto há mais opções de financiamento. Vários bancos fazem esse tipo de negócio e é importante pesquisar as taxas de juros de cada um. “É importante levar em consideração que atualmente os juros para financiamento estão altos”, ressaltou Leonardo.

Também existem linhas de financiamento para quem tem um terreno próprio e deseja construir uma casa. Porém, não são tão simples e exigem que o proprietário conte com recursos próprios para iniciar a obra, o que dificulta a vida de quem deseja construir a casa do zero em terreno próprio.

financiamento
O mais comum é fazer financiamento para comprar uma casa já pronta e é ao que os bancos estão mais habituados a fazer, portanto há mais opções de financiamento (Foto: Reprodução/Shutterstock)

Para dar entrada no pedido, algumas etapas acima devem estar prontas, como o terreno estar com a documentação regularizada e o projeto da obra deve estar pronto. Depois disso é que deve submeter o pedido de financiamento ao banco, que irá avaliar os documentos e o projeto e validar o processo se tudo estiver em ordem.

Mas o proprietário não vai receber o dinheiro. Ele vai precisar dispor de recursos para dar início à obra. O morador vai executar a primeira etapa da construção de acordo com o cronograma definido com recursos próprios e submeter à análise do banco. Se o processo de construção estiver dentro das normas, o banco vai liberar os recursos da primeira etapa. Daí o proprietário vai realizar o mesmo processo para as próximas etapas da construção.

Profissionais

Provavelmente, nos dois casos, será preciso investir na contratação de profissionais para auxiliar na obra ou na reforma. Ter um engenheiro ou um arquiteto fazendo o acompanhamento pode agilizar o tempo de serviço e, com melhor planejamento, evitar gastos desnecessários.

No caso de quem vai construir do zero, fazer os gostos do proprietário é fundamental, mas é preciso também ter bom senso. Uma casa com gosto duvidoso e mal dividida pode dificultar a venda no futuro. Portanto, contratar um arquiteto pode ser um investimento que valha a pena. A casa poderá ficar mais bem construída, com gosto que atenda ao proprietário, porém mais universal, e com materiais que se adequem melhor a uma obra.

Outro profissional que pode fazer a diferença durante a construção é o engenheiro. Ele poderá cuidar das questões técnicas específicas e, com sua consultoria, ainda ajudar a diminuir os custos da obra. Empresas de engenharia ainda podem conseguir comprar materiais de construção mais baratos, já que os depósitos de materiais de construção chegam a dar desconto entre 8% e 10% para pessoas jurídicas.

construcao_imovel
Nos dois casos, será preciso investir na contratação de profissionais para auxiliar na obra ou na reforma (Foto: Reprodução/Shutterstock)

Mas não contrate qualquer profissional para cuidar da sua obra. Economizar neste momento pode pesar no bolso no futuro. Afinal de contas, o futuro proprietário da casa é o responsável por responder por qualquer problema que tenha na obra, como erro na execução ou falta de pagamento dos funcionários.

Já no caso da casa pronta, possivelmente ela vai precisar de alguma reforma para se adequar às necessidades do novo morador. Neste caso, também é importante ter a orientação de um profissional, principalmente para que a obra seja feita de forma mais ágil e com o orçamento sob controle. “Ainda assim, apesar do desgaste com uma obra, o tempo que será gasto para fazer as alterações necessárias será bem mais rápido”, disse o vice-presidente do Secovi-RJ.

+ Veja quanto vale o m² nas cinco melhores cidades para se viver

+ Veja as diferenças entre fiador, seguro-fiança e garantia de aluguel

+ Veja como fica o preço médio da locação no País

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.