17/11/2010

Venda de imóveis novos em SP cresce 70% em setembro, diz Secovi-SP

Fonte: Estado de S.Paulo

Volume de lançamentos ficou 77,2% acima do apurado em agosto

A venda de imóveis novos na cidade de São Paulo registrou forte recuperação em setembro frente ao mês anterior, com salto de 70%, somando 2.785 imóveis, conforme a Pesquisa sobre Mercado Imobiliário realizada mensalmente pelo Departamento de Economia e Estatística do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP). O resultado, porém, ficou abaixo do total vendido em setembro de 2009, quando foram comercializadas 5.049 unidades.

(Foto: Divulgação)
Unidades de três dormitórios representaram 24,6% do total das vendas (Foto: Divulgação)

A exemplo do que ocorreu com as vendas, o volume de lançamentos ficou 77,2% acima do apurado em agosto (1.633 moradias), acrescenta a entidade.

Em setembro, os imóveis de dois dormitórios concentraram 37,8% no volume comercializado (1.054 imóveis). O destaque, porém, ficou para o segmento de quatro dormitórios, com 32,6% do total vendido no mês, volume que corresponde a 908 unidades. No período, as unidades de três dormitórios representaram 24,6% do total, com 686 imóveis comercializados.

Conforme o levantamento, o indicador Vendas sobre Oferta (VSO) acelerou de 17,4% em agosto para 26,4% em setembro. Por segmento, o de dois dormitórios liderou, com VSO de 37%, seguido pelo nicho de quatro dormitórios, com 27,2%.

Do total comercializado em setembro, 2.217 unidades foram vendidas dentro do período de lançamento – o equivalente a 79,6% das unidades escoadas. O indicador VSO desse segmento foi de 36,5%, enquanto as vendas na fase de pós-lançamento se restringiram a 568 unidades, com VSO de 12,7%.

Segundo a entidade, esse cálculo é feito com base no acompanhamento dos imóveis lançados por um período de até 36 meses desde a colocação em oferta. Essas unidades são segmentadas por critério de esforço de comercialização em dois momentos distintos. Os primeiros seis meses representam a fase de lançamento. O período de pós-lançamento começa a partir do sétimo mês e se caracteriza pela redução no esforço de promoção.

Em termos de área útil, na capital paulista a venda de unidades residenciais de até 130 m² atingiu 78,1%. Dentre os segmentos, imóveis com área útil entre 46 m² e 65 m² tiveram melhor desempenho no mês, com 1.027 vendas, participação de 36,9% e VSO de 34,6%.

Grande São Paulo – A comercialização de imóveis novos na Região Metropolitana de São Paulo, que engloba 38 cidades e a capital, cresceu 23,5% em setembro ante agosto, somando 4.723 unidades, de acordo com pesquisa do Secovi-SP. Desse total, 59% foi comercializado na capital.

O segmento de quatro dormitórios, com a comercialização de 908 unidades – superando o volume de lançamentos (746 unidades) – foi o grande destaque do mês. Em termos de área útil, houve comportamento semelhante na cidade de São Paulo, com a venda de 120 apartamentos com área útil superior a 180 m², contra 56 unidades lançadas.

De acordo com dados da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp), o número de lançamentos na Região Metropolitana aumentou 60,1% em relação a agosto, somando 7.660 unidades. A pesquisa mostra que 37,8% dos lançamentos da região no mês (2.894 unidades) foram concentrados na capital.

No acumulado do ano até setembro, a capital teve participação de 53% no total comercializado e 47,7% do volume lançado, em unidades, na Região Metropolitana.

LEIA MAIS:

Com FGTS, consórcios de imóveis registram número recorde de participantes

Governo pretende tomar o imóvel de quem deve IPTU

Casa própria: dívida mais alta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.