05/08/2009

Venda de imóvel usado cresce 30,91% em São Paulo

Fonte: Revista ZAP

A maioria das unidades vendidas foi feita com pagamento à vista, sem financiamento, modalidade que somou 61,47% dos contratos fechados pelas imobiliárias

(Foto: Verônica Lima)
Preço médio dos imóveis vendidos não preço médio não ultrapassou os R$ 180 mil (Foto: Verônica Lima)

A venda de imóveis usados na cidade cresceu 30,91% em junho na comparação com maio. Foram vendidos 256 casas e apartamentos na capital em 446 imobiliárias consultadas pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP), o que fez o índice de vendas saltar de 0,4385 em maio para 0,5740 em junho.

A maioria das unidades vendidas foi feita com pagamento à vista, sem financiamento, modalidade que somou 61,47% dos contratos fechados pelas imobiliárias. Os financiamentos da Caixa Econômica Federal (CEF) e dos demais bancos responderam por 36,69% do total. O restante foi dividido entre os consórcios (0,92%) e o financiamento direto dos proprietários (0,92%). Venderam-se mais apartamentos (60,94%) do que casas (39,06%).

Uma combinação de fatores é a causa provável dessa melhoria nas vendas em junho. Entre elas, o aumento da confiança dos consumidores, a saída do Brasil da crise a partir de maio com crescimento do PIB, os juros bancários mais baixos desde 2007, baixa que se acentuou em 2009. “Mais confiante, sentindo-se mais seguro no emprego, com crédito mais acessível e mais barato para outras despesas, o paulistano pode sentir-se mais confortável para empenhar suas economias e reservas na compra da casa própria”, estima o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto.

MAIS VENDIDOS – De acordo o Creci-SP, em junho, os imóveis mais vendidos na capital foram aqueles cujo preço médio não ultrapassou os R$ 180 mil – casas e apartamentos até esse valor representaram 61,11% do total de contratos fechados nas imobiliárias. Por faixa específica de valor, a campeã de vendas em junho, com 33,33%, foi a dos imóveis com preço superior a R$ 200 mil.  

Os preços dos imóveis usados também subiram em junho, mostra a pesquisa da entidade. Houve nove registros de alta e cinco de baixa, no conjunto de imóveis dos quais se obteve preços médios. O preço que mais subiu foi o de apartamentos de padrão médio com até sete anos de construção e localizados em bairros situados na zona E, como Lauzane Paulista, M”Boi Mirim, Parelheiros. O metro quadrado subiu 26,72%, passando R$ 1.428,57 em maio para R$ 1.810,34 em junho.

O preço que mais baixou em junho foi o de casas de padrão médio situadas na zona C, que agrupa bairros como Mirandópolis, Mooca, Santa Cecília, e construídas há mais de 15 anos. O preço médio caiu 26,91%, baixando de R$ 1.923,08 em maio para R$ 1.405,55 em junho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.