13/08/2013

Vendas de imóveis crescem 46% em São Paulo

Segundo pesquisa do Secovi, os lançamentos registraram crescimento ainda maior: 51% na comparação entre os primeiros semestres de 2012 e 2013

Fonte: ZAP Imóveis

O comportamento das vendas e dos lançamentos de imóveis novos residenciais na cidade de São Paulo surpreendeu no primeiro semestre de 2013.

No período entre janeiro a junho deste ano foram vendidas 17.500 unidades (Fotos: Thinkstock)

De acordo com balanço realizado pelo Secovi-SP (sindicato da habitação), divulgado nesta terça-feira, foram vendidas 17.500 unidades de janeiro a junho deste ano. O volume é 46% superior ao mesmo período de 2012, quando foram comercializadas 11.981 unidades.

Já o VGV (Valor Geral de Vendas) acumulado no semestre atingiu R$ 10,6 bilhões, atualizado pela variação do INCC-DI (Índice Nacional de Custo da Construção), o equivalente a 63% a mais em relação ao montante de R$ 6,5 bilhões do primeiro semestre do ano anterior.

O Secovi atribuiu o crescimento a uma combinação de fatores, como demanda contínua de novos imóveis residenciais, financiamento abundante e alta na aprovação das plantas em relação ao mesmo período de 2012.

“O mercado teve um desempenho surpreendente, apesar do atual cenário econômico, com a expectativa baixa para o PIB”, afirmou Claudio Bernardes, presidente do Secovi.

Previsão para este ano é de crescimento de 30% na vendas de imóveis residenciais na cidade de São Paulo sobre o ano passado

“Há dois fatores que explicam essa alta. Primeiramente, a demanda é forte, o sonho da casa própria continua ainda muito vivo. Além disso, notou-se a capacidade das incorporadoras de adequar os lançamentos ao consumidor. Isso se justifica no crescimento expressivo na venda de unidades de um dormitório, que aumentou 330%, mas representa um tíquete de compra menor”, analisou Emílio Kallas, vice-presidente de incorporação imobiliária do sindicato.

Se as vendas surpreenderam, os lançamentos registraram crescimento ainda maior: 51% na comparação dos mesmos intervalos. Foram 13.983 unidades ofertadas entre janeiro e junho de 2013 diante das 9.224 unidades lançadas em igual período de 2012.

Segundo Embraesp, segmento de dois dormitórios liderou em participação, com 5.732 unidades ofertadas

De acordo com a Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), responsável pela apuração dos lançamentos, o segmento de dois dormitórios liderou em participação, com 5.732 unidades ofertadas (ou 41% do total). O destaque, no entanto, foi a tipologia de um dormitório, que representou alta de 377% no primeiro semestre de 2013, com 3.565 unidades.

Expectativas para 2013 – Segundo o economista chefe do sindicato, Celso Petrucci, a previsão para este ano é de um crescimento de 30% na vendas de imóveis residenciais na cidade de São Paulo sobre o ano passado e um avanço de 16% nos lançamentos.

Apesar da alta na quantidade de lançamentos residenciais no primeiro semestre, a projeção da entidade é de 33 mil unidades lançadas até o fim do ano, expectativa abaixo da média que a capital teve entre 2010 e 2012: 35 mil.

“No segundo semestre, isso não deve acontecer. Devemos ter, ao término de 2013, números mais comportados”, completou Bernardes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.