17/10/2011

Vendas de imóveis novos em SP caem 17,9% em agosto

Fonte: O Estado de S. Paulo

Nos 8 primeiros meses do ano, vendas do setor desaceleram e caem 23,8% ante mesmo período de 2010

Vendas de imóveis novos em SP caem 17,9% em agosto
Imóveis residenciais (Fotos: Divulgação)

As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo caíram 17,9% em agosto na comparação com julho e somou 2.234 unidades, informou nesta sexta-feira o sindicato que representa o setor na capital paulista. A velocidade de vendas – medida pela relação de venda sobre oferta – caiu de 16,9% para 13,3%.

Na comparação com agosto de 2010, porém, as vendas cresceram 36,4%. Nos oito meses até agosto, o setor registrou desaceleração, com as vendas em São Paulo acumulando queda de 23,8% ante igual intervalo do ano passado, para um total de 16.636 unidades. Apesar do resultado negativo, o Secovi assinala, em nota, que essa diferença chegou a ser de 49,6% no primeiro trimestre de 2011.

Do total de unidades comercializadas em agosto, 80% estavam em período de lançamento – nos primeiros seis meses desde o momento em que foram ofertadas.

O segmento de dois dormitórios foi responsável por 67,8% das vendas no período, seguido pelos imóveis de três dormitórios, com 21%.

Lançamentos – Em agosto, foram lançadas 3.687 unidades residenciais na capital paulista, crescimento de 35 por cento contra julho e mais que o dobro do volume registrado um ano antes, conforme dados da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp).

“O processo de reposição da oferta de imóveis na cidade se mantém, com o volume lançado no mês excedendo as vendas em 1.453 unidades”, afirma o Secovi, acrescentando que o estoque está em torno de 14.600 unidades em oferta.

No acumulado de 2011 até agosto, os lançamentos somaram 20.411 imóveis, alta anual de 14 por cento. Com isso, a entidade reiterou a estimativa de fechar o ano com 38 mil unidades lançadas.

LEIA MAIS:

Preço do metro quadrado sobe 30% em um ano, segundo FipeZap

Imóveis em inventário: vale a pena correr o risco?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.