19/04/2011

Vendas de imóveis novos recuam na capital

Fonte: Jornal da Tarde

A venda de imóveis novos na capital paulista recuou 34,6% em fevereiro ante o mesmo mês do ano anterior, passando de 2.858 para 1.869 imóveis, conforme pesquisa mensal do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais de São Paulo (Secovi-SP). Em relação a janeiro, porém, houve expansão de 125,2%.

(Foto: Divulgação)
Na Região Metropolitana de São Paulo, as vendas somaram 3.728 unidades em fevereiro (Foto: Divulgação)

Os números, segundo o Secovi-SP, refletem a esperada retração sazonal que marca os primeiros meses do ano. Na Região Metropolitana de São Paulo, as vendas somaram 3.728 unidades em fevereiro, com queda de 31,7% ante o mesmo período do ano anterior e alta de 47,1% em relação a janeiro,

Já os lançamentos na capital paulista aumentaram 76,5% no período em relação a um ano antes e 383% ante janeiro, somando 2.902 unidades.

De acordo com Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP, as medidas para frear a aceleração do crescimento e as tentativas de conter a entrada de recursos externos para indiretamente limitar o crédito não atingiram o setor.

Desaceleração – Segundo análise feita pelo Departamento de Economia e Estatística – órgão responsável pela pesquisa – o índice de Venda Sobre Oferta (VSO) acompanhou em fevereiro a evolução das vendas em unidades.

Na comparação com igual período do ano anterior, o VSO médio da capital paulista desacelerou de 21,1% para 13,2%. Em janeiro, estava em 6,7%.

Em fevereiro, 86,4% das vendas na capital foram realizadas durante a fase de lançamento. O segmento dois dormitórios se manteve na liderança, respondendo por 41,6% do total comercializado no período, seguido pelos imóveis de três dormitórios, com 32,3%.

Das unidades negociadas, 89,1% tinham área útil de até 130 metros quadrados (m²), enquanto as moradias com área entre 45m² e 65m² responderam por 38,8% do total.

LEIA MAIS:

Valorização dos imóveis é mais rápida que a inflação

SP: preço de apartamento sobe 2,4%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.