14/10/2008

Vendas de tintas continuam em ritmo forte em 2008

Fonte: Editoria Zap

Aquecimento do setor imobiliário e da indústria automobilística

Os primeiros meses de 2008 confirmam a tendência de ótimo desempenho das vendas de tintas, iniciada em 2007. Segundo os dados coletados pela Abrafati (Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas), as vendas cresceram entre 7% e 10% este ano, quando comparadas com o início do ano anterior.

As tintas imobiliárias são um dos destaques, com a manutenção do conjunto de condições favoráveis que permitiu o expressivo crescimento da  construção civil em 2007. “As previsões de crescimento de 7%, que fizemos no final do ano passado, estão se confirmando, podendo inclusive ser superadas”, diz Fernando Val y Val Peres, presidente do Conselho Diretivo da Abrafati.

São diversos os fatores positivos que justificam essa expectativa, a começar pela maior oferta de crédito, o alongamento dos prazos de pagamento e o aumento da renda, que contribuem para estimular a construção habitacional e as reformas. Ao mesmo tempo, há mais recursos para financiamento de imóveis habitacionais e o governo está incentivando a construção civil, que foi a área mais contemplada nos projetos do PAC. “Tudo isso continuará a repercutir na venda de tintas imobiliárias”, garante Fernando Peres.

Indústria automobilística
Outro destaque são os sucessivos recordes de produção e vendas da indústria automotiva, que garantem mais mercado para as tintas automotivas originais. Em 2008, o aumento das vendas de veículos no mercado interno está sendo o motor desse crescimento, uma vez que as exportações apresentam um pequeno declínio. Depois de uma expansão de 14% em 2007, as vendas de tintas automotivas originais devem manter-se em ritmo forte, com índice de crescimento superior a 10%. As tintas de repintura automotiva, tintas para autopeças e plásticos também se beneficiam desse momento positivo da indústria automobilística.

As tintas industriais e de manutenção também vêm tendo desempenho extremamente positivo. Apesar das dificuldades enfrentadas por alguns setores industriais fortemente exportadores – móveis, por exemplo –, os projetos ligados ao PAC – Programa de Aceleração do Crescimento e o próprio crescimento da economia brasileira impulsionam as vendas de tintas para segmentos ligados à infra-estrutura e energia, para demarcação e manutenção, para indústrias como a naval. “Como muitos dos grandes projetos em desenvolvimento são de longo prazo, contamos com a manutenção de um crescimento nas vendas dessas tintas neste e nos próximos anos”, diz Fernando Peres.

Naval
Um exemplo recente de como estão se abrindo excelentes perspectivas para as tintas industriais vem da área naval. O Programa de Modernização e Expansão da Frota e de Embarcações de Apoio da Petrobras, lançado pelo presidente Lula em 26 de maio, garantirá o bom desempenho do segmento de tintas navais e de manutenção por vários anos. A previsão é de encomenda de 146 novas embarcações de apoio às atividades de exploração e produção marítima de petróleo, que se soma à intenção de construir navios-sonda, plataformas de perfuração semi-submersíveis e navios de grande porte.
“Pela primeira vez em muitos anos as vendas de tintas estão mantendo um ritmo sustentado de crescimento, acima do PIB.

Os fatores que levam a esse bom desempenho são estruturais e não conjunturais, o que nos anima a prever que a demanda continuará firme e teremos bons resultados por vários anos seguidos”, finaliza Fernando Peres. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.