23/01/2009

Vila Leopoldina não para de crescer

Fonte: Jornal da Tarde

Antiga área industrial, a Vila Leopoldina é boa opção às mais caras, como Pinheiros e Lapa

Foto: Werther Santana/AEEmpreendimento Plaza Mayor, na Avenida Imperatriz Leopoldina, um dos vários em construção no bairro

Quem entra na Vila Leopoldina pela sua região norte, pela Rua Guaipá, pode ver antigos sobrados que abrigam pequenos estabelecimentos comerciais e residências com visual retrô. Nem parece que estamos próximos de Pinheiros.

Porém, chegando à região central do bairro, cortada pela Avenida Imperatriz Leopoldina, onde está localizada a estação de trem, e descendo até a Avenida Doutor Gastão Vidigal, que abriga a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), vemos que os antigos galpões industriais quase desapareceram, se concentrando na parte ao sul do viaduto Mofarrej.

Nesse itinerário, empreendimentos imobiliários de médio e alto padrão “”””””””brotam”””””””” pelas ruas. Mas a paisagem muda ainda mais quando andamos pela Rua Carlos Weber, verticalizada, arborizada e que contém comércio de luxo, além de bons restaurantes e bares.

Como afirmam especialistas do mercado, a consolidação do bairro acontece, pelo menos, há uma década. Porém, o número de lançamentos se mantém alto, como mostram dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). Em comparação com os dois anos anteriores, o número de unidades lançadas no bairro cresceu e atingiu 540, 20% a mais que em 2007.

Além disso, apesar das taxas crescentes de valorização, é possível encontrar imóveis 20% mais baratos que nos bairros mais próximos: Lapa, Perdizes e Pinheiros, mas acima de Jaguaré e Butantã, com a vantagem de usufruir da infra estrutura de serviços consolidada em seu entorno, de acordo com Sergio Beccaria Canton, gerente de desenvolvimento imobiliário da Fernandez Mera. “Enquanto o m² gira em torno de R$ 4 mil no Alto de Pinheiros, encontramos por R$ 3 mil na Vila Leopoldina”.

Ele lembra que na Lapa há limite de altura para construções nos grandes corredores, o que não acontece no bairro. “Isso atrai empreendimentos para a Vila Leopoldina, além do custo do terreno de galpões desocupados, que continua baixo”, completa.

As características majoritárias dos novos empreendimentos do bairro são apartamentos de quatro dormitórios com 150 m², voltados para a classe média, analisa Cyro Naufel, diretor de atendimento da Lopes.

“Como os terrenos são grandes, foram construídos muitos condomínios-clube, com duas ou três torres e área de lazer completa”, afirma o especialista.

Um exemplo é o Plaza Mayor , empreendimento em fase de construção da Even. Em um terreno de 20 mil m², estão sendo construídas quatro torres que irão abrigar piscinas com raia e quadras de tênis. Dois empreendimentos da Agra, em fase de construção em um terreno que totaliza mais de 40 mil m² – um dos últimos desse porte e desocupados na região -, também possuem essas características.

Vila Nova Leipoldina I e II
Oito torres com apartamentos de 125 m², 158 m² e 210 m², com preços de R$ 451 mil a R$ 938 mil e terreno de 45 mil m², com área de lazer. Na Rua Nagel com Rua Aroaba.
www.vilanovaleopoldina.com.br

Jardim Leopoldina
Apartamentos de três e quatro dormitórios de 96 m² a 121 m², a partir de RS 369 mil. Previsto para novembro de 2010. Na Avenida Mofarrej, 275.
www.rossiresidencial.com.br/jardimleopoldina/

Plaza Mayor
Apartamentos de quatro dormitórios com área privativa de 142 m² e 187 m² e preço a partir de R$ 620 mil. Entrega prevista para dezembro de 2009. Na Avenida Imperatriz Leopoldina com Rua Mergenthaler.
www.plazamayor.com.br

NÚMEROS
OPORTUNIDADES

540 unidades lançadas

160,86 m² área útil média

R$ 3.687 preço/m² área útil

Fonte: Embraesp
Dados referentes a 2008

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.