16/04/2009

ZAP amplia rede de classificados online no Brasil

Fonte: Revista ZAP

Portal de anúncios fecha parcerias em outros estados do país

Alexandre GuzansheLuiz Tito, Eduardo Gama Schaeffer, Dilton Caldas, Andre Molinari e Teodomiro Braga no lançamento da ZAP em Minas

O ZAP, portal de classificados dos jornais O Estado de S. Paulo e O Globo, fechou parcerias com oito grupos de comunicação para formar a maior rede de classificados da internet brasileira. O anúncio foi feito ontem (15), em Belo Horizonte. “Até o fim do ano, queremos ter acordos com pelo menos um grupo em cada Estado”, afirma André Molinari, diretor geral do ZAP.

Por enquanto, as empresas que fazem parte desta parceria são a EPTV (Campinas-SP e região), O Tempo e Super Notícias (MG), jornal A Cidade (Ribeirão Preto-SP), Jornal do Commercio (PE), O Povo (CE), Correio do Paraíba (PB) e Tribuna do Norte (RN).

O ZAP reúne no mesmo endereço interessados em comprar, vender e alugar (produtos ou serviços) e em oportunidades profissionais

O acordo entre as empresas permitirá que os anunciantes de cada região veiculem suas ofertas no ZAP que conta hoje com cerca de 500 mil anúncios nos canais de Imóveis, Veículos, Empregos (vagas e currículos) e Mix (oportunidades e negócios).”Essa parceria com o ZAP nos colocará em condições de disputar a liderança dos classificados online em Minas Gerais”, afirma Teodomiro Braga, diretor executivo da Sempre Editora, maior grupo de mídia impressa do estado mineiro.

Somados, os jornais dos grupos que participam do ZAP têm uma tiragem mensal de 38 milhões de exemplares por mês. De acordo com o diretor geral do ZAP a parceria vai  permitir a venda centralizada de anúncios para todo o Brasil. “Hoje, quando os anunciantes querem fazer campanhas nacionais, precisam fazer anúncios em um portal genérico e em sites regionais”, explica Molinari, acrescentando que, no ZAP, poderá contratar a campanha em um só lugar, falando para um público de bom poder aquisitivo, que compra carros e imóveis.

Até 2013, o objetivo é ultrapassar 1 milhão de anúncios, chegando a uma receita anual de R$ 320 milhões, a 7 bilhões de páginas vistas por ano e 25 milhões de visitas por mês. “Vamos crescer quase 70% este ano, e devemos ter uma expansão média de 40% a 50% nos próximos cinco anos”, diz Molinari. “Mesmo com a crise internacional, mercados como imóveis e carros vão arrebentar no Brasil.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.